Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Outubro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


Pesquisar

 


PREPARAÇÃO PARA O TESTE

Segunda-feira, 25.10.10

Caro aluno

A matéria que temos vindo a trabalhar no 11.º ANO será avaliada dentro de poucos dias. Tendo em conta este facto, acabo de deixar na lista dos links dois testes que foram aplicados aos meus alunos nos anos anteriores. Agradecia que tentasse resolvê-los como forma de preparação. Eventuais dúvidas podedrão ser colocadas na sala ou durante os intervalos.

A avaliação é sempre um momento delicado tanto para o aluno como para o professor, porque sabemos que nem sempre os resultados saidos dos testes correspondem, verdadeiramente, àquilo que, ao longo de um determinado tempo, o aluno aprendeu naquela dinâmica da sala de aula.

Bom Trabalho!

Saudações académicas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A MULHER QUE PASSA

Segunda-feira, 11.10.10

Meu Deus, eu quero a mulher que passa
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!
Oh! como és linda, mulher que passas
Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!


Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pelos leves são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.


Meu Deus, eu quero a mulher que passa!


Como te adoro, mulher que passas
Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Por que me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me concontrava se te perdias?


Por que não voltas, mulher que passas?
Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida
Para o que sofro não ser desgraça?


Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!


Que fica e passa, que pacífica
Que é tanto pura como devassa
Que bóia leve como a cortiça
E tem raízes como a fumaça.

 

                                     Vinícius de Moraes

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Mateus Monteiro às 20:22


Comentários recentes

  • Trêza

    Olá!Este post está em destaque na homepage do SAPO...

  • MFonseca

    Gostei da sua historia, mas nao e tudo que foi esc...

  • Trêza

    Este blog está em destaque na homepage do SAPO Cab...

  • Edson Santos

    Caro Professor queria antes de mais felicitar pelo...

  • Trêza

    * petrolífera...






subscrever feeds